segunda-feira, 20 de junho de 2011

O que move a sua dança (parte 2)

Dando continuidade ao assunto abordado anteriormente, sobre a razão expressiva e verdadeira da nossa dança, concluo com o relato da nossa participação da mostra de Dança O QUE MOVE A TUA DANÇA?, que aconteceu nos dias 14 e 15 de maio de 2011 na cidade de São Leopoldo/RS.


Na verdade, a questão que aborda sobre a verdadeira dança vai muito além de passos, ensaios técnicos e exaustivos...vai além de anos de trabalho e de apresentações artísticas em diversas mostras, festivais e seminários...além de uma frase que tente definir a verdadeira dança. Está na essência do ser humano...na essência da sua criação.
O ser humano foi criado para um propósito além de "viver e se deixar viver". Fomos criados com o intuito de reconhecermos nossa verdadeira vocação para que não sejamos como meninos levados por todo vento de doutrinas (informações vulgo educativas), mas para sermos seres uníssonos com nosso próprio interior (corpo-alma-espírito).
Mas o que tudo isso quer dizer e tem a ver com a minha dança? Se eu simplesmente exercito meu corpo, tento emagrecer através de intermináveis aulas, ensaios e apresentações, se no final do ano eu simplesmente abandono uma sapatilha no armário e tiro "férias" da dança, de que valeu todo o meu esforço?
Li uma frase da intrigante e curiosa Martha Graham "o corpo diz o que as palavras não podem dizer". Fiquei intrigada e curiosa, acredito que da mesma forma que boa parte das pessoas que dançam ficam. Mas fui além.
O que é dizer com o corpo? Será um simples grand battement me diria algo?! Talvez. 
Muitas pessoas acham que isso é o fim na dança. O máximo que o seu corpo chegar em resistência e elasticidade é o fim. Pronto. Agora você se tornou o melhor dançarino!
Mas e os gestos singelos que relevam uma simplicidade rica em sentimentos e verdades? E a expressão facial que diferencia de sofrimento, indiferença e alegria? E a coluna tão esquecida em seus cambres?
Afinal, o que move a sua dança?!?




No final da apresentação na mostra de dança em São Leo/RS, houve um debate sobre o tema O QUE MOVE A TUA DANÇA? e chegamos a conclusão nenhuma...pois o que move uma dança está além desse corpo físico...vem do alto, vem de quem o criou. Coisa que a criatura não pode concluir...só teorizar.




Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus. I Coríntios 6.20

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Que Move a Tua Dança? (parte 1)

Nos dias 14 e 15 de maio acontecerá uma mostra não-competitiva de vários gêneros de dança com o tema O QUE MOVE A TUA DANÇA? no Teatro Municipal de São Leopoldo/RS.
Quando recebi o email com o convite para a participação (aberta a bailarinos, cias, grupos, etc, profissionais ou não) fiquei muito intrigada e questionei a mim mesma o que move a minha dança.







Desde a criação, na barriga da nossa mãe, já havia movimento e esse movimento era o que nos impulsionava a vida e demonstra esta a todos...a falta desses movimentos sinaliza o contrário, a morte.
Interessante de que durante toda a nossa infância, nós amávamos dançar qualquer "coreografiazinha" que nos ensinassem, desde a professora do jardim da infância com as coreografias gestuais até a Xuxa e o É O Tchan!Amávamos!
Engraçado como fomos perdendo com o decorrer dos anos essa facilidade e alegria de simplesmente dançarmos. Trocamo-as pela correria e a permissividade de parecermos ridículos de expressar aquilo que somos, a nossa individualidade através de algo que é único: nosso corpo.
O que NÃO move a tua dança? O que não move a minha dança?
Nos tormamos distantes e desconfiados de nós mesmos e não nos permitimos mais "criativizar", expressar com espontaneidade qualquer sentimentos.
Quem você virou? O que eu virei? 


Qual foi a última vez que você dançou?


CONTINUAÇÃO....

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Escola de Adoração do Estúdio do Corpo- Novo Hamburgo/RS Fevereiro 2011

Inicio de mês bem interessante. Na verdade, passei um tempo doente na praia e voltei com tudo porque precisa estar com saúde na Escola de Adoração em Novo Hamburgo/RS que aconteceu na primeira semana de fevereiro de 2011.
Só que não fui sozinha dessa vez. A Karine Mattos, líder da Cia Palavra em Movimento da Igreja Brasa (Zona Norte) foi junto comigo na 6feira pela manhã pois eu não estava com saúde para ter ido antes e ela só recebeu liberação do trabalho nesse dia.
Logo que chegamos recebemos um Palavra de Deus com a Thaise, do Estúdio do Corpo (todas as ministrações eram feitas por integrantes do grupo), líder na área de dança com crianças sobre AMAR O PRÓXIMO e logo em seguinda tivemos a última aula de Dança Contemporanea com o Léo Richter. Aula muito boa, pena que não pudermos estar durante a semana para termos a continuidade coreografica e de consciencia corporal que a Dança Contemporanea oferece.


A tarde tivemos um passei turístico em NH que me fez pensar muuuuito mais nessa cidade 
A noite uma Palavra abençoada que a Debby pregou sobre LIBERDADExLIBERTINAGEM e depois foi a Pra. Kátia Mello que falou sobre ADORAÇÃO COM ENTENDIMENTO e tivemos após essa explicação na Palavra sobre como dançarmos com entendimento e passar esse entendimento que verdadeiro mesmo é somente através da Biblia. Deus moveu incrivelmente nossas vidas. Sério, foi algo sobrenatural que falava através da canção Águas Purificadoras do grupo Diante do Trono. Foi lindo e verdadeiro...e pude começar a contemplar o que Deus pra minha vida a partir desse ano.


No dia seguinte, logo pela manhã, dei a primeira oficina de Dança Moderna pro pessoal que estava na escola. Enquanto estavam alguns na oficina de AfroContemporaneo com o Emerson, alguns estavam comigo nessa oficina. Claro que quem nào conhece o método Graham de ensino de dança, imagina que vai ter logo de cara sequencias coreográficas! Mas no Moderno não..primeiro respiração, coluna, pélvis...todo um trabalho de tronco, pernas, braços antes de querer sair "dançando". Mas acredito que o pessoal tenha gostado porque é um trabalho diferente que a técnica de Graham exige, mas que é maravilho para o corpo e mente.


 Logo em seguinda emendei na aula de Dança de Rua...expliquei um pouco da história da dança de rua, com inicio lá no subúrbio de Nova York como que uma "revolução" do povo de condiçòes sociais mais baixas, como os negros, na verdade, praticamente só negros. Música pra negros, dança para negros e artes visuais para negros...mas a dança em si surgiram de Clubs como o Locking, Popping, etc..mas o que é de rua mesmo, foi o B-boy (break...nem pense em usar o termo BREAKDANCE pois isso foi criado pela mídia..o termo é b-boy ou b-girl..praticantes de break)..mostrei alguns movimentos dessas danças mas dei a aula de Free Style...
Foi bem divertido!!! Acho que gostaram. Até filme fizeram!!! 


No final da manhá conversamos sobre LIDERANÇA...muito legal e bem interessante os testemunhos e dúvidas de cada um.
A tarde passei um pouco mal e não consegui fazer a oficina de Expressão Corporal e de Alongamento com a Vanessa Kolling e com o Jonas Santos...fiquei deitada passando calooor, mas não conseguia fazer muita coisa não! rsrsrs
A noite foi uma palavra muito abençoada sobre IDENTIDADE com a Pra. Kátia Mello e depois uma CONVERSA FRANCA dividindo as meninas para uma sala e os meninos para outra...foi MUITO engraçado e edificante!!! Ameeeei e depois, até uma 00:30 só de papo com o pessoal ali escadaria perto dos quartos!!! Como fazemos amigos ne?! Pena que na situação minha e da karine, foram só 3 dias.


Dai a Pra.Kátia teve um ideia que sacudiu o povo!!Na manhã seguinte todos nós deveriamos estar preparados para dançarmos no culto no período do louvor, principalmente o pessoal que já tinha um trabalho técnico em alguma área especifica da dança...
Eu (com a dança de rua), a Taiara com o Sapateado, a Karine com o Jazz, o Emerson com o Afro, a Debby com o Flamenco e o Karadeleão com artes visuais (desenho)...o Léo como Jesus com um panãão vermelho como o sangue de Jesus sobre nós retomando as artes para louvor ao Nome do Senhor Jesus! FOI LINDOOOOOOOOO!!!!!!
Mais lindo ainda foi ouvir as pessoas chorando te dizendo que Deus falou com elas e elas se sentiram ministradas por Deus! MISSÃO CUMPRIDA!


Um ótimo culto de rendição ao Senhor!!Foi lindo e maravilhoso nos entregarmos, nossos dons, talentos, nossas vidas e responsabilidades diante Daquele que fez todas as coisas...O SENHOR JESUS!!NOSSO DEUS! 


Saudades que fica mas uma longa experiencia com Deus e com a vida de cada um presente.



quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Lester Horton Technique

video
Um dos grandes nomes da Dança Moderna...há que não goste muito do estilo dele, pois se assemelha muito com as técnicas do Jazz. Mas ele é do movimento da dança moderna do século 20.

Night Journey - Martha Graham Company

video

Trechos do espetáculo de Martha Graham.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Oficina de Repertório e Técnica de Martha Graham (PORTO ALEGRE/RS) e Dança Moderna

    Nos dias 09/08 á 11/09 foi realizado na cidade de Porto Alegre/RS uma oficina de Técnica e Repertório de Martha Graham pela UFRGS (http://www.difusaocultural.ufrgs.br/).
    Dois grandes nomes da Dança Moderno no Brasil e no Mundo, Andrea Raw Iracema (que deu a oficina para nível iniciante) e pelo primeiro dancer da Martha Graham Dance Company, Tadej Brdnik (oficina de Avançado).
    Eu fiz a de Iniciante, porque qualquer pessoa com um entendimento do que realmente é a Dança Moderna, entenderia que o nível avançado é para quem já trabalha ou trabalhou com a Dança Moderna extensivamente, não só um contato, senão não consegue entender profundamente as raízes do movimento.
    Muito foi falado do porque da Dança Moderna em Martha Graham, mas para entender o mínimo possível é realmente necessário conhecer a história do Moderno, Pós-Moderno e principalmente, a de Martha Graham.
    Martha Graham não foi a primeira pessoa a dançar a dança moderna, até porque ela não gostava muito desse termo, pois achava meio enrigessido. Começou um pouco "tarde" para os padrões de dança e até mesmo um pouco desacreditada, mas sua primeira influência foi vendo uma apresentação de Ruth St.Denis e decidiu que seria a Dança que ela seguiria por toda a sua vida. 
Seus familiares eram presbiterianos (cristãos protestantes) e queriam que ela seguisse qualquer outra profissão, menos dança. Mas ela segui em frente.
    Foi estudar na Denishawn Dance School com Ted Shawn e Ruth. Nessa escola se estudava muito as danças orientais (egípcias, gregas, etc), mesmo não tendo lá muito conhecimento técnico, mas muito mais por fotos e figuras antigas, que tanto os Shawns, Isadora Duncan e Loie Fuller, que vieram antes de Martha e que através destes, ela começou sua pesquisa, indo posteriormente á Nova York continuar suas pesquisas e estudos sobre dança.
    Lá começou a vida mais propriamente dita, particular (se é que isso foi possível á ela) em relação á dança. Em 1926, Graham publicou seu primeiro trabalho em palco, e de lá não parou mais.
    Não gostava muito do clássico, embora não nega suas vertentes. Não somente Graham, mas outros bailarinos vieram na mesma época que ela, antes ou até mesmo bailarinos dela, que não por rixas, mas por multiplicação, digamos assim, seguiram essa mesma vertente e/ou influênciaram, e muito, muitas gerações, como Merce Cunnigham, Pina Bausch (essa é da linha da dança-teatro), Ted Shawn, Paul Taylor, Twyla Tharp, Mary Wigman, Hanya Holm, Rudolf Laban, etc (não em ordem de origem cronológica).
    
     Os artistas da dança moderna tem muito orgulho da sua história, tendo o pólo oposto do balé. Ballet é a história da organização, movimento simétrico, as tradições das cias, teatros, assim como indivíduos. Dança moderna, por outro lado, é quase totalmente a história das personalidades, bebidas espirituosas e corações de cada um dos bailarinos, que elaboram as suas próprias filosofias, e definir os seus próprios estilos. Estes estilos evoluem e são transmitidos aos estudantes que, em seguida, romper a criar algo novo e tão pessoal.


    Mas a dança moderna não é verdadeira quando se diz q nega o clássico, embora boa parte daquele época fosse contra a rigidez de consciencia quanto corpo que a dança clássica forneceu durante tantos séculos, muito menos para agradar á burguesia.
    A dança moderno se caracteriza por movimentos consciêntes, rígidos e com muito contato no chão, no parceiro (relacionamento) de dança, espaço e o uso do tronco, que a dança clássica não permite certas torções na sua maioria. Pelo contrário do que muitos pensam, a dança moderna não é somente uma técnica com repertório somente para esse tipo de dança, mas serve sim para todos os tipos de dança. A dança moderna não quer retratar situações do passado, mas situações que vivem o presente, conflitos, guerras, emoções, etc. 
    Da dança moderna, o próximo seguimento foi a dança pós-moderna (um tanto mais gritante em relação á suas linguagens e expressões que talvez causasse uma surpresa em alguns dos dançarinos da época do surgimento da dança moderna no início do século XX) e mais atualmente a dança contemporânea (não falaremos sobre esta agora). 
    Nenhuma técnica é suficiente em si, nem o ballet clássico, nem o moderno, nem o contemporâneo.
    Segundo Klauss Vianna, a dança serve como "segunda natureza" da dança, para me servir de vocabulário. Quanto mais eu tenho conhecimentos técnicos em gerais, mais eu tenho vocabulário para transmitir a mensagem que o meu corpo quer.
    Do que adianta uma bela perna alta numa composição coreográfica, se ela não tem significado para mim e/ou para o público? 
Técnica não é o fim, mas o meio.
    Segundo a fenomenologia, em Mearleau Ponty (1994) em seu livro Fenomenologia da Percepção e no site do iDanca (http://idanca.net), ele afirma que o corpo é nosso ponto de vista sobre o mundo. O corpo fala, existe uma linguagem não-verbal.
    Se o corpo fala, pra que então tanta dança subliminar que não tem sentido nenhum, somente exibicionismos?




Pronto. Terminei a aula ontem com a mente cheia de idéias e pronta para viver mais sobre a dança. 
É impressionante e chega a ser um pouco engraçado quando começo a me questionar (o que tem acontecido com tanta frequência sobre o que faço e quem eu sou) sobre os porquês da dança e percebo que quanto mais eu faço mais "viciada" eu fico.
Por quê? Porque a própria dança, quando não vivênciada puramente por exibicionismos, palcos e troféus, mas pela filosofia e questionamentos sobre o mundo e quem nós somos, a dança nos favorece. Não é demagogia quando falam que a dança nos tornam pessoas melhores (toda regra tem excessão)! Refletimos sobre o mundo! Como não vamos nos tornar pessoas mais sensíveis e prontas para tentar responder (ou lançar dúvidas) na cultura em que estamos inseridas!?


Fica a instigação...QUEM VOCÊ É E POR QUE VOCÊ FAZ?








REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: http://idanca.net
http://www.dicasdedanca.com.br

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Dança Afro (aula de Afro Contemporâneo - 27/07/2010)

Nessa última 3ªfeira tive que substitui,r num congresso de grande porte, uma professora de dança insubstituível, a pra.Simone Soares (São Paulo-SP) em duas aulas dela, no caso desse dia, a de Afro.
Desenvolvo a dança afro desde 2005 quando fui para o Festival Rhema (na época ainda Evangelizando com Arte) e fiz a oficina com duração de 4 dias com o Sandro Junio da Cia Rhema (www.festivalrhema.com.br). Simplismente amei a Dança Afro.
Mas o que é a Dança Afro?!
Desde criança sempre me chamou a atenção o barulho dos instrumentos da candomblé, mas como sou cristã (não gosto de dizer evangélica, mas é dessa linha de cristianismo que sou) sempre achei que era pecado misturar Jesus com politeísmo.
Quando descobri a possibilidade de adorar a Jesus com outros ritmos que eram completamente diferentes do que estavamos acostumados, eu pirei!
Fui pesquisar, conversei, procurei e achei até músicas completamente cristãs com batidas do atabaque, bongô, etc e descobri que a dança afro não é como dizem por ai  que a dança afro é quase na sua totalidade ligada á manifestações espirituais de entidades.
 A dança afro é ligada sim á religiões africanas, mas essa dança, na sua essência, é do povo africano. As gingas, os giros, as torções de colunas e joelhos fleccionados são oriundos de um povo completamente único! Não tem mistura ocidental e nem oriental.
Então comecei a entender melhor quando conheci histórias e vídeos e até relatos pessoais de africanos sobre suas danças e culturas e até hoje venho descobrindo que independente de orixás, a Dança Afro é simplesmente dança: expressiva e cultural.
Claro que existem muitos pesquisadores que afirmam até mesmo por experiências corporais que a dança Afro é oriunda de ritos tribais e culturais de seu povo, o que os levam a crer que a Dança Afro foi criada em ritos do candomblé. Mas não é só isso.
Se a Dança Afro fosse só de uma linha da religião afro (como aprendemos sobre entidades caboclas) então todo um continente seria se uma só religião?! 
Desprovida de religião, embora em muito a África está ligada fortemente á ancestrais, é uma manifestação de alegria, tristeza e cultura de povos negros. Ponto.
Conversei algumas vezes com um amigo meu africano de Gana, Solomon, e ele mesmo nos disse quando fomos conversar sobre a Dança Afro que a dança é muito cultural sim, mas que nem sempre é ligada a rituais religiosos, mas como manifestação de júbilo. E há tantos séculos essa dança já vem com sua prática, que até hoje, mesmo em cultos cristãos, os africanos dançam e gritam livremente em Nome de Jesus Cristo, o próprio Deus em carne.
E agora?! Deus se contradiz? A Bíblia é ambígua e confusa? Não. Deus é o mesmo desde antes da fundação do mundo e O será até o fim.Amém.
Mas a complexidade disso tudo é que Deus é diferente do homem, Deus não vê com olhos humanos, mas vê o coração. Não são somente obras, mas o coração.

"...porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração." I Samuel 16.7


Deus disse isso á Samuel quando estava escolhendo um rei para Israel. Ou seja, em uma questão completamente cultural (judaísmo), Deus estava levantando um rei que era diferente de todos os conceitos culturais da época, e mais adiante louva á Deus com danças, mas com tanta intensidade que o tacharam de ridículo.
Pelo visto não só o povo africano tem baixa moral com tanta religiosidade, mas um dos maiores reis que já existiram na face da terra, Davi.









"Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos."  Isaías 55.8-9
Eu danço afro, creio piamente na restauração no Senhor de cada movimento, porque Deus fez o homem, a mulher e os animais, tudo o que é Dele, volta pra Ele.


Aberto para discussões sobre o assunto: